Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.espm.br/handle/tede/325
???metadata.dc.type???: Dissertação
Title: A percepção do jovem sobre a saudabilidade do café
Other Titles: The youth's perception of coffee's health
???metadata.dc.creator???: Rodrigues, Roberta Prado 
???metadata.dc.contributor.advisor1???: Almeida, Luciana Florêncio de
???metadata.dc.contributor.referee1???: Spers, Eduardo Eugênio
???metadata.dc.contributor.referee2???: Rocha, Thelma Valéria
???metadata.dc.contributor.referee3???: Cunha, Christiano França da
???metadata.dc.contributor.referee4???: Castro, Luciana Thomé e
???metadata.dc.description.resumo???: O objetivo do estudo foi compreender a percepção do jovem sobre o café como parte de hábito saudável em sua rotina. A pesquisa exploratória qualitativa se volta para o consumidor de 19-25 anos, período relevante para desenvolvimento de comportamentos duradouros para a saúde. Foram consideradas dezessete entrevistas em profundidade. Os roteiros foram sustentados pelos conceitos do Health Belief Model (HBM), classificado como um dos modelos mais utilizados para explicar comportamentos de saúde. As variáveis preditivas do HBM foram adaptadas ao contexto e delas emergiram sete categorias analíticas para interpretação através da análise qualitativa de conteúdo. Os resultados demonstraram que, em geral, o café não está associado a hábitos saudáveis. Apesar do vínculo forte com a bebida, os jovens não são familiarizados com todos os seus benefícios funcionais. A percepção é limitada: o café é fonte de disposição e energia (produtividade) ou de relaxamento (prazer). Identifica-se também signos adicionais: o café é instrumento para socialização. Em outras palavras, o café é tido pelos jovens como um grande aliado da vida adulta, o que justifica sua relevância nesta fase de busca por independência. Assim, a percepção do café como parte de um comportamento saudável pode ser estimulada se o público jovem obter maior conhecimento dos benefícios do café (principalmente os que se encaixam na rotina típica) e das doses diárias seguras de cafeína, que ainda são superiores à frequência de consumo deste público, que por vezes percebe a substância como um vício em potencial. Além disso, o posicionamento que relaciona o café como aliado para atividades físicas parece ter o maior potencial, uma vez que é a variável mais associada à saúde e já é um hábito na rotina. Contudo, o café como combustível para hábitos saudáveis parece ser crível e relevante aos olhos do público pesquisado. Já os benefícios ligados à prevenção de doença apresentaram menor credibilidade e relevância.
Abstract: The aim of this study was to understand the young person's perception about coffee as part of a healthy habit in their routine. The exploratory qualitative research turns to the consumer of 19-25 years, a relevant period for the development of long-lasting health behaviors. In the process, seventeen in-depth interviews were considered. The script was supported by the concepts of the Health Belief Model (HBM), considered one of the most used models to explain health behaviors. The predictive variables of the HBM were adapted to the context and from them emerged seven analytical categories for interpretation through the qualitative content analysis. The results showed that, in general, coffee is not associated with healthy habits. Despite the strong bond between coffee and young people, they are not familiar with all functional benefits of the beverage. Perception is limited: coffee is a source of energy and disposition (productivity) and/or relaxation (pleasure). It also identifies additional signs: coffee is also perceived as an instrument for socialization. In other words, coffee is seen by young people as a powerful ally of adult life, which justifies its relevance in this important period of quest for independence. Therefore, the perception of coffee as part of a healthy behavior can be stimulated if young people acquire more knowledge of the benefits of coffee (especially those that are fit into their daily routine) and the safe doses of caffeine, that less often is perceived as a potential addiction, despite they claim to consume less than the recommended daily doses. In addition, the positioning that relates coffee as an ally for physical activity seems to have the greatest potential, since it is the variable most associated with health and it is already a habit in the routine. However, coffee as a fuel for healthy habits appears to be believable and applicable by the eyes of this researched public. On the other hand, the benefits related to disease prevention showed less credibility and relevance.
Keywords: comportamento do consumidor; inteligência de mercado; café; saúde; comportamento saudável; jovem; health belief model
consumer behavior; market intelligence; coffee; health; healthy behavior; young; health belief model
???metadata.dc.subject.cnpq???: CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO
???metadata.dc.language???: por
???metadata.dc.publisher.country???: Brasil
Publisher: Escola Superior de Propaganda e Marketing
???metadata.dc.publisher.initials???: ESPM
???metadata.dc.publisher.department???: ESPM::Pós-Graduação Stricto Sensu
???metadata.dc.publisher.program???: Programa de Mestrado Profissional em Comportamento do Consumidor
Citation: Rodrigues, Roberta Prado. A percepção do jovem sobre a saudabilidade do café. 2018. [306 f.]. Dissertação ( Programa de Mestrado Profissional em Comportamento do Consumidor) - Escola Superior de Propaganda e Marketing, [São Paulo] .
???metadata.dc.rights???: Acesso Aberto
URI: http://tede2.espm.br/handle/tede/325
Issue Date: 23-Mar-2018
Appears in Collections:Dissertações - MPCC

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
mpcc_ROBERTA PRADO_DEFESA FINAL_IMPRESSÃO FINAL rev RP.pdfA percepção do jovem sobre a saudabilidade do café4.11 MBAdobe PDFThumbnail

View/Open ???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.preview???


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.